Dissertações 2013

 

DISSERTAÇÕES DEFENDIDAS EM 2013

 

  1. AUTORA: ALIX VANESSA MASCARENHAS LIMA SOARES

ORIENTADORA: Denise Helena Pereira Laranjeira

TÍTULO: A relação juventude e educação em diferentes gerações: a perspectiva de estudantes da educação de jovens e adultos de uma escola municipal de Feira de Santana – Ba

 

RESUMO

A partir da análise do estado da arte sobre o tema juventude na pós-graduação brasileira, estudiosos da área têm apontado para a necessidade de que esforços sejam empreendidos no sentido de explorar o entendimento da categoria juventude a partir de um ponto de vista relacional, enfatizando-se as relações entre gerações e investigando-se suas diferenças e complementaridades a fim de se compreender melhor a condição juvenil. O presente trabalho vem ao encontro desta demanda, norteando-se a partir do seguinte problema de pesquisa: Como os jovens se relacionam com a educação, considerando-se a perspectiva de diferentes gerações? Para investigar este problema, a pesquisa tem como objetivo geral analisar a relação juventude e educação na perspectiva de estudantes de diferentes gerações. Para isso, foram escolhidos como sujeitos de pesquisa estudantes jovens e adultos, alunos de uma escola municipal situada em um bairro periférico da cidade de Feira de Santana, Bahia. A modalidade Educação de Jovens e Adultos foi escolhida por se constituir um espaço privilegiado de encontro entre pessoas que vivenciaram/vivenciam a juventude em diferentes gerações e contextos. Por ter como foco a percepção dos sujeitos, a pesquisa reveste-se de um caráter essencialmente qualitativo, privilegiando as seguintes etapas: a fase exploratória, o trabalho de campo, a análise e tratamento do material empírico e documental. Para fundamentação teórica das categorias conceituais e analíticas desta pesquisa tomou-se como aporte autores considerados clássicos pelos pesquisadores da Sociologia da Juventude como Bourdieu (1983, 1998), Eisenstadt (1976), Mannheim (1982) e Pais (1990), bem como pesquisadores que têm se destacado no debate nacional a respeito do tema, dadas suas contribuições para o desenvolvimento das pesquisas sobre juventude no Brasil, a exemplo de Abramo (1997, 2005), Camacho (2004), Carrano (2000, 2003), Dayrell (2003), Groppo (2000, 2009), Peregrino (2011), Sposito (1994, 1997, 2000, 2005, 2009), Weisheimer (2009) e Weller (2007, 2010). Quanto aos resultados encontrados, concluiu-se que, embora os jovens contemporâneos tenham a entrada na escola antecipada para a infância percebeu-se que, assim como no caso das gerações anteriores, a defasagem idade/série permanece como um fator marcante nas trajetórias escolares de jovens das classes populares; identificou-se que, assim como no caso das gerações anteriores os motivos relacionados ao atraso ou à interrupção da trajetória escolar dos jovens estavam associados às dificuldades familiares relacionadas à situação econômica e a conseqüente necessidade de trabalho precoce, semelhantemente, os jovens da geração contemporânea têm como um grande dificultador para sua permanência na escola a conciliação forçada entre estudos e trabalho; e verificou-se que as questões relacionadas à constituição de família ainda atravessa gerações, colocando-se como impedimento para as jovens mulheres freqüentarem a escola regularmente, embora este se constitua como um fator secundário. Foi possível concluir ainda que as famílias continuam pouco escolarizadas e pouco favorecidas economicamente, o que indica que as desigualdades sociais permanecem como fator relevante na relação dos jovens com a educação

PALAVRAS-CHAVE: juventude e educação, relações intergeracionais

 

2.    AUTOR: ANALDINO PINHEIRO SILVA FILHO

ORIENTADORA: Solange Mary Moreira Santos

TITULO: Formação continuada de professores de Matemática: um estudo sobre a práxis docente no programa GESTAR II na Bahia

RESUMO:

O presente estudo discute a práxis docente consubstanciada no âmbito da proposta político-pedagógica de formação continuada do Programa GESTAR II de Matemática, implementado na Bahia, no período de 2005 a 2012. Esse estudo é de abordagem qualitativa e tem como objetivo geral analisar como a práxis docente é compreendida no âmbito da proposta político-pedagógica do Programa GESTAR II de Matemática na Bahia. Tem como categorias de análises as ideias de práxis (VÁZQUEZ, 2011) e de profissionalidade (SACRISTÁN, 1999). Nesse sentido, é investigada a formação continuada do professor de Matemática a partir de uma análise crítica da “arena” em que a política educacional é produzida e como os princípios e preceitos por ela engendrados se fazem representados no modelo de formação proposto. Discute também as concepções de formação continuada a partir das ideias de autores como Giroux (1997), Fusari (1997), Nóvoa (1995) e Pimenta (2009, 2011). Os instrumentos metodológicos utilizados foram a pesquisa documental, a pesquisa bibliográfica e o questionário. Com base nesses instrumentos, foi realizado todo um cotejamento do observado nos acordos internacionais e nacionais de educação; nas diretrizes políticas, pedagógicas e curriculares de organismos multilaterais, do MEC e da Secretaria de Educação da Bahia; nos pressupostos políticos, teóricos e pedagógicos que fundamentam o GESTAR II; na percepção acerca da práxis docente de seis professores de Matemática do Programa GESTAR II, bem como nos autores que embasam o referencial teórico desta pesquisa. Os dados coletados mostraram que a concepção de práxis docente, via proposta político-pedagógica de formação continuada de professores na Bahia, ainda encontra limites, tais quais: não tem conseguido formar uma acepção verdadeira e significativa da práxis docente e não tem promovido significativas mudanças estruturais e funcionais de trabalho voltadas para o desenvolvimento pessoal, profissional e social do professor. O estudo indica a necessidade de compreender que a atividade docente não é exterior às condições psicológicas, culturais e sociais que os professoresexperienciam na dinâmica social de suas vidas.

PALAVRAS-CHAVE: Professores de Matemática. Formação Continuada. Práxis Docente. Profissionalidade. Programa GESTAR II.

 

 

3.    AUTOR: EDEIL REIS DO ESPÍRITO SANTO

ORIENTADORA: Lílian Miranda Bastos Pacheco

TITULO: consciência fonológica e prática alfabetizadora: por uma ação teórico-metodológica para o ensino da linguagem escrita

 

RESUMO:

O presente trabalho teve como objetivo central analisar se, ao planejar suas ações de ensinagem, as professoras alfabetizadoras buscam na consciência fonológica bases teórico-metodológicas para tornar mais funcional a compreensão pelos/as alfabetizandos/as de como se dá a lógica organizacional da escrita enquanto sistema. O estudo foi realizado com 8 professoras alfabetizadoras da Rede Pública Municipal de Senhor do Bonfim – BA; a pesquisa se deu numa perspectiva qualitativa, por meio da solicitação de um Plano Semanal de Aula, bem como da realização de um Grupo Focal com as alfabetizadoras. O processamento dos dados se deu por meio da Técnica de Análise do Conteúdo. Para orientar o a organização dos dados, elencamos dois blocos de categorias. O primeiro bloco traduz o tratamento dos dados referentes aos Planos Semanais; o segundo toma por análise as falas registradas durante o Grupo Focal. Ambos os blocos expressam o conhecimento que as alfabetizadoras têm sobre as atividades de análise e reflexão fonológica. Os dados revelam que as habilidades fonológicas mais evidentes na prática das alfabetizadoras são as habilidades de consciência da rima e de consciência da sílaba. O conjunto de atividades estratégias e encaminhamentos didáticos encontrados nos Planos Semanais de Aula evidenciam que alguns planos apresentam um maior número de habilidades fonológicas, bem como o fato de alguns desses planos serem mais completos, haja vista os objetivos e o conjunto de orientações didáticas se apresentam bem mais concatenados. Os discursos que emergiram do Grupo Focal, somados aos dados levantados nos Planos, deixam transparecer que a incorporação das habilidades de reflexão fonológica às práticas didático-pedagógicas das docentes acontece num tom de instrumentalidade, pois as alfabetizadoras apresentam um domínio de tais habilidades com base no seu saber experiencial, quando, por meio do conhecimento tácito, ressignificam e tecem compreensões que se constituem como saber teórico-metodológico revigorado pelas situações inusitadas e inerentes ao saber-fazer.

PALAVRAS-CHAVE: Consciência Fonológica. Prática Alfabetizadora. Análise Fonológica. Análise Estrutural. Ação interventivo-mediadora.

 

 

4.    AUTORA: GEORGIA OLIVEIRA COSTA LINS

ORIENTADORA: Ludmila Oliveira Holanda Cavalcante

TITULO: VENTO DA MEIA-NOITE”, LIÇÕES AO AMANHECER: a formação da juventude camponesa na REFAISA – BA

RESUMO:

Este trabalho discute como as Escolas Famílias Agrícolas (EFAs) concebem o Ensino Médio Integrado à Educação Profissionalizante e os elementos que colaboram na construção dos projetos profissionais dos estudantes destas instituições. As EFAs são instituições escolares que possuem um projeto de formação específico para a juventude do campo com a finalidade de potencializar a vida comunitária e familiar dos camponeses, via o sistema educativo da Pedagogia da Alternância. A pesquisa qualitativa foi realizada com a abordagem do estudo de caso e pautou-se na análise das Escolas Famílias Agrícolas de Ensino Médio, pertencentes à Rede de Escolas Famílias Agrícolas Integradas do Semi Árido (REFAISA). Foram feitos levantamentos e análise de informações bibliográficas, estudos documentais, observação participante, além de entrevistas semi-estruturadas com estudantes, monitores, famílias e mestres de estágios envolvidos nos contextos de três EFAs de Ensino Médio da Rede. Como resultado da pesquisa, identificou-se que o projeto político pedagógico das escolas famílias convive com contradições e tensionamentos cotidianos: de um lado a inserção nos contextos das escolas, de uma concepção de educação profissionalizante pautada na racionalidade instrumental aos moldes do sistema educacional de ensino; de outro, a constante luta pela viabilização e operacionalização de um significativo e contra-hegemônico processo formativo para jovens camponeses, que se constituam em efetivas possibilidades de permanência destes sujeitos no campo baiano.

PALAVRAS-CHAVE: Escola Família Agrícola; REFAISA; Juventude Camponesa; Educação Profissional no campo.

 

5.    AUTORA: LÍVIA JÉSSICA MESSIAS DE ALMEIDA

ORIENTADORA: Gláucia Maria da Costa Trinchão

TITULO: Velhos problemas, novas questões”: uma análise dos discursos raciais na política nacional do livro didático

RESUMO:

A presente pesquisa objetivou analisar como a política nacional do livro didático legitima e reproduz representações do/a negro/a no livro didático. Para responder a tal objetivo e sabendo que a política nacional do livro didático possui dois eixos estruturantes: os documentos oficiais e o processo de escolha na escola adotei pressupostos da pesquisa documental, tomando como corpus de análise os seguintes documentos oficiais: Editais do PNLD do Ensino Fundamental I de 2003, 2007 e 2010, na legislação de 2003 a 2011, e nos Guias do Livro Didático para o Ensino Fundamental I 2010; e, também, da pesquisa qualitativa, utilizando o questionário e o grupo focal como técnicas de coleta e produção de dados dos discursos das oito professoras da Escola Batista Teosópolis sobre o processo de escolha do livro didático na escola e as relações etnicorraciais. Como subsídio metodológico de tratamento de dados, adotei a Análise do Discurso de Linha Francesa. Nesse sentido, engendrei uma análise, a partir dos conceitos de campo, capital e habitus, sobre a política nacional do livro didático identificando seus agentes e a disposição dos discursos raciais. Para análise dos discursos raciais foi realizada uma contextualização com dados históricos, demográficos e sociais, bem como suas repercussões no contexto educacional, constituindo-se como condições de produção discursivas nas abordagens de raça, discriminação, preconceito e racismo. Na análise dados, os documentos oficiais revelaram fragilidades referentes, principalmente, à representação positiva da população negra, pois pautaram-se, sobretudo, na ideia da repetição exaustiva do enunciado base de não veiculação de preconceitos e discriminações nos livros didáticos. Os questionários e o grupo focal revelaram conflitos entre um habitusantigo e o início da emolduração de um novo habitus, pois, por um lado, observei a consonância entre os discursos das professoras e as condições objetivas, na qual a maioria desconsiderou completamente, no momento da escolha do livro didático, qualquer critério relativo às relações etnicorraciais. Mas, por outro lado, foram perceptíveis alguns enunciados que rechaçaram essa política considerando a necessidade do trabalho a partir da Lei 10.639/03 e a importância desse critério na escolha e análise do livro didático. Assim, numa análise da política nacional do livro didático em seus dois eixos, posso concluir que a referida política legitima e reproduz representações negativas de desvalorização do/a negro/a, por meio de uma política de silenciamento/invisibilidade a partir da não adoção de medidas/ações afirmativas para uma representação positiva do povo negro no livro didático.

PALAVRAS-CHAVE: Política do Livro Didático. Relações Etnicorraciais. Professor. Habitus. Políticas Públicas

 

 

6.    AUTORA: MARIA CRISTINA DE JESUS SAMPAIO

ORIENTADOR: MARCO ANTONIO LEANDRO BARZANO.

TITULO: O currículo vivido e os repertórios culturais negros nas escolas municipais da Matinha dos Pretos – Ba: diálogos com a Lei 10.639/03

RESUMO:

Este texto dissertativo, resultado da pesquisa acadêmica desenvolvida no Mestrado em Educação PPGE/UEFS, analisa questões sobre o currículo vivido, práticas pedagógicas e a materialização da Lei Federal 10.639/03 em três escolas municipais da comunidade Matinha dos Pretos - BA, em (co)relação com os repertórios da cultura negra local. No decorrer da pesquisa, busquei responder questões referentes ao currículo e as práticas pedagógicas desenvolvidas nas escolas e em espaços da comunidade em co/relação com os repertórios da cultura negra local, examinando as possibilidades e alternativas de materialização da lei 10.639/03, nesse contexto. Configura-se como uma pesquisa qualitativa de cunho etnográfico, fazendo uso de instrumentos de coleta de dados, tais como: observação, entrevistas, diário de campo e fotografias. Foram sujeitos participantes da pesquisa: gestores, professores e algumas pessoas da referida comunidade. Constitui-se em um trabalho de relevância social e científica, uma vez que trata de aspectos do cotidiano da vida de pessoas negras na sociedade brasileira, mais especificamente, sujeitos praticantes da Matinha dos Pretos - BA. Os escritos dialogam com autores pós-coloniais, discutindo elementos referentes à memória e tradição da população negra no contexto nacional, perpassando por noções pós-críticas de currículo, cultura e identidade, em interface com as práticas pedagógicas vividas na e pela comunidade em estudo. O referido texto dissertativo apresenta, em sua estrutura, uma divisão em cinco momentos distintos: uma introdução mais quatro capítulos e seus subtópicos, que são portos de diálogos entre o nascer da pesquisa, o desenrolar dessa, os resultados construídos e as considerações finais, perseguindo os objetivos propostos (por entre um mar de palavras e experiências) para essa caminhada, ou viagem nômade cheia de travessias. Esse trabalho apresenta alguns resultados referentes ao currículo e as práticas pedagógicas desenvolvidas em escolas da Matinha dos Pretos, analisando, junto a esses elementos, a materialização, ou não, da lei 10.639/03 nesse contexto, em diálogos com repertórios da cultura negra local.

PALAVRAS-CHAVE: Currículo vivido. Repertórios Culturais Negros. Identidade. Lei 10.639/03.

 

 

7.    AUTORA: MARIA JOSÉ FIRMINO DA SILVA

ORIENTADOR: MIGUEL ALMIR LIMA DE ARAÚJO

TITULO: Cultura sertânica e currículo: diálogo fundante para a Educação no/do Campo numa escola pública municipal de Tucano/BA

RESUMO:

Este estudo de caso objetivou responder à seguinte questão de pesquisa: como se configuram as relações entre o currículo proposto pela Escola Municipal Cristóvão Colombo e os contextos socioculturais dos seus estudantes na perspectiva da Educação do Campo? Assim, considerando essas relações como densas, complexas, opacas e contraditórias, optamos por uma abordagem qualitativa, referenciada na Etnopesquisa Crítica que nos possibilitou compreender as maneiras de os sujeitos darem sentido e encaminharem suas questões cotidianas, a partir do lugar social do qual falam. Nessa perspectiva do lugar social, na análise dos dados nos inspiramos em alguns pressupostos da Análise do Discurso (ORLANDI, 2003; 2006; 2012). Nosso locusde pesquisa, portanto, foi uma escola da Rede Pública Municipal de Ensino de Tucano/Ba e os sujeitos colaboradores foram sete professores, a gestora e a coordenadora pedagógica da instituição e dezenove estudantes. Para constituir o corpus deste trabalho, foram realizadas entrevistas, grupos focais, análise de documentos, observações e fotografias que nos possibilitaram, nas considerações de final aberto, compreender que as relações entre o currículo proposto pela Escola Municipal Cristóvão Colombo e os contextos socioculturais dos seus estudantes se configuram, principalmente, através de projetos pedagógicos como também do diálogo entre os conhecimentos que figuram nos livros didáticos e os contextos de referência dos estudantes, mas quase sempre de forma espontânea, sem registro e sem intencionalidade.

PALAVRAS-CHAVE: Cultura; Currículo; Educação do Campo.

 

 

8.    AUTORA: MAURÍCIA EVANGELISTA DOS SANTOS

ORIENTADORA: Mirela Figueiredo Santos Iriart

TITULO: Na esteira dos saberes e práticas da docência na educação infantil: as relações entre professoras e auxiliares no cotidiano de um CMEI

RESUMO:

É a partir do processo de municipalização da Educação em Infantil, que no município de Salvador ocorreu em 2007, impulsionado pela política de descentralização, através da Emenda Constitucional 143 (de 12 de setembro de 1996) e da aprovação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9.394 (de 20 de dezembro de 1996) que se desenvolve o objetivo central da presente dissertação: compreender como se configuram as relações entre as diferentes profissionais (professoras e auxiliares) que atuam em um CMEI, tendo como referência as especificidades das suas práticas, permeadas por crenças, valores, sentidos, significações construídas no cotidiano do trabalho. A pesquisa coloca em discussão as relações entre a formação acadêmica das professoras e a atuação prática das auxiliares de sala, em torno de questões relacionadas ao cuidar e ao educar e aos sentidos e os modos pelos quais cada profissional significa suas práticas e seus saberes nas relações que tecem umas com as outras, atravessadas por relações de poder. Para atender a tais objetivos o desenho metodológico da pesquisa é de cunho qualitativo, apoiado na abordagem teórica-metodologica da Rede de Significações (RedSig), de modo a nos permitir capturar o contexto discursivo e os processos de significação que se desenrolam no cotidiano do CMEI, recorrendo às estratégias da análise documental, observação participante, entrevistas semi-estruturadas e realização de grupos focais. Constituem-se sujeitos da pesquisa educadoras, auxiliares de desenvolvimento infantil e as gestoras da instituição. Os resultados indicam que as relações entre as professoras e as auxiliares configuram-se em meio aos micropoderes que medeiam relações hierárquicas no cotidiano da instituição, apontando para os sentidos e os significados sobre o próprio trabalho e o trabalho umas das outras, produzidos a partir do lugar social e institucional que cada grupo de profissionais ocupa. As análises evidenciam uma divisão social e de gênero no trabalho na educação infantil, que contribui para a construção de relações conflitivas entre auxiliares e professoras, observando-se poucos episódios de compartilhamento das ações docentes. Através das práticas discursivas, reconfiguradas com a interação pesqusiadora-pesquisadas, engendram-se processos de re-significação das suas identidades.

PALAVRAS-CHAVE: Profissionais de Educação Infantil. Saberes e práticas. Papéis e posicionamento. Relações de saber/poder

 

 

9.    AUTOR: MAXIMIANO MARTINS DE MEIRELES

ORIENTADOR: Antônio Roberto Seixas da Cruz

TITULO: Identidades em travessia: representações de estudantes de Letras sobre ser professor de Língua Portuguesa.

RESUMO:

Esta investigação problematiza as identidades docentes de estudantes de Licenciatura em Letras, no sentido de compreender o que é ser professor de Língua Portuguesa para o próprio estudante, professor emformação. Nessa perspectiva, a presente Dissertação teve a seguinte questão de pesquisa: Que representações sobre ser professor de Língua Portuguesa emergem no discurso de estudantes de Letras da UEFS e concorrem para a construção de suas identidades docentes? Trata-se de uma pesquisa qualitativa, fundamentada no paradigma emergente de ciência (SOUSA SANTOS, 2004) em diálogo com alguns princípios da Teoria das Representações Sociais ( ARRUDA, 2011). O lócus foi a Universidade Estadual de Feira de Santana / UEFS e os sujeitos colaboradores foram um total de seis estudantes do Curso de Licenciatura em Letras Vernáculas. Para constituir o corpus deste trabalho, foram realizadas entrevistas, além de uso de memoriais de formação, portfólios e análise documental do projeto Pedagógico do curso em questão. Os recortes discursivos foram analisados a partir dos pressupostos teórico-metodológicos da Análise de Discurso de Linha Francesa (ORLANDI, 2008), em diálogo com os estudos culturais (HALL, 2006), as discussões no campo da Formação de Professores ( CORACINI, 2007; TARDIF, 2012) e dos Estudos (Auto) biográficos (NÓVOA, 1992; PASSEGI, 2008)> Como resultados alcançados, podemos perceber que os discursos dos sujeitos demarcaram a porosidade da fronteira entre querer ser e não ser professor, desvelando movimentos de identificação contraditórios em relaçãoà docência. Percebemos também que os sujeitos representam o ensino da Língua Portuguesa como ensino de gramática normativa, constituindo uma identidade marcada pela ausência: a falta da gramática durante a formação no Curso. No entanto, embates vão surgindo à medida que essa imagem de Língua Portuguesa é relativizada pelo saberes da Lingüística. Ademais, os estudantes evidenciam a necessidade de terem uma prática pedagógica diferente dos seus professores do ensino fundamental e médio, para além do ensino da gramática normativa, constituindo, assim, identidades em travessia. No tocante à formação docente, os estudantes sinalizaram a importância das disciplinas didático-pedagógicas, ressaltando, por outro lado, a necessidade de incluir no currículo mais disciplinas dessa natureza, posto que, segundo eles, o curso enfatiza a formação do pesquisador, ao tempo em que marginaliza saberes e práticas relacionadas à profissão docente, gerando, portanto, um silenciamento da docência.

PALAVRAS-CHAVE: Identidade(s). Língua Portuguesa. Representações. Ser professor.

 

 

 

10. AUTORA: RAPHAELA DANY FREITAS SILVEIRA GONÇALVES

ORIENTADORA: Ludmila Oliveira Holanda Cavalcante

TITULO: O estado da arte da infância e da educação infantil do campo: debates históricos, construções atuais

RESUMO:

A Educação Infantil, etapa educacional marcada pelas lutas dos movimentos sociais aos direitos da infância e garantia destes direitos nas legislações brasileiras da última década, ganha, no meio acadêmico e sociopolítico, uma visibilidade, antes obstruída. Sua importância tem sido foco de variadas pesquisas nacionais e internacionais. Entretanto, há ainda que se discutir, com mais profundidade, as diversas infâncias e Educação Infantil voltada para públicos diferenciados. Nesta pesquisa, a Educação Infantil voltada para a população do campo/ da zona rural, entendida como Educação Infantil do Campo, se constituiu no objeto investigado. Deste modo, o presente trabalho se propôs a investigar e mapear as produções científicas educacionais em infância e Educação Infantil do Campo na década de 2002-2012, período que demarca as políticas de Educação Infantil e de Educação do Campo. Para tanto, tem como problema a seguinte questão: Passada uma década desde a deliberação das Diretrizes Operacionais para a Educação Infantil (Parecer CNE/CEB n°04/00, 16 de fevereiro de 2000) e de Educação do Campo (Resolução CNE/CEB nº 1, de 3 de abril de 2002), qual a visibilidade da infância no/do campo e da política de Educação Infantil do Campo (EIC) nas produções científicas na década de 2002-2012? Para tanto, optou-se como base metodológica o Estado da Arte (ROMANOWSKI E ENZ, 2006; FERREIRA, 2002), com o objetivo de efetivar o balanço das pesquisas neste campo de conhecimento. As fontes escolhidas para efetivar a busca das produções científicas foram bancos de dados de referência no campo educacional: a Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e Scientific Eletronic Library Online (SCIELO). Para qualificar o debate, o presente texto dissertativo está organizado em sete capítulos. O primeiro consta do debate introdutório da temática. O segundo capítulo, intitulado “A abordagem metodológica: o Estado da arte” apresenta a opção metodológica, as fontes e categorias da pesquisa. O terceiro capítulo “A política de Educação do Campo: um outro paradigma para a Educação Rural” situa o debate da Educação do Campo, com base nos estudos de Munarim (2006), Fernandes (2006) e Souza (2008). O quarto capítulo “Educação Infantil do Campo: uma política necessária” discorre sobre o percurso político da Educação Infantil, bem como sobre a inserção desta com a Educação do Campo nas políticas educacionais atuais, tendo como base teórica as pesquisas de Silva, Pasuch e Silva (2012), bem como documentos nacionais, como a DOEBEC (2002) e Resolucão CNE/CEB n°2 de 2008. O quinto capítulo “A infância e a Educação Infantil do Campo nas produções científicas: os achados da pesquisa” consta da análise dos dados, com os resultados das pesquisas encontradas. O sexto capítulo “As pesquisas em EIC e suas temáticas anunciadas em interface de análise” consta da análise dos textos pesquisados e suas temáticas. Por fim, o sétimo e último capítulo, com as considerações finais. Como resultado deste trabalho, verificou-se que a área de Educação Infantil do Campo carece, com urgência, de mais pesquisas que qualifiquem seu debate.

PALAVRAS-CHAVE: Educação Infantil, Educação do Campo, Infância no/do campo

 

 

11.  AUTORA: RENATA ADRIAN RIBEIRO SANTOS RAMOS

ORIENTADORA: Marinalva Lopes Ribeiro

TITULO: Necessidades formativas de professores do ensino superior, com vistas ao desenvolvimento profissional: o caso de uma universidade pública na Bahia

RESUMO:

Esta pesquisa objetivou conhecer as representações de professores e gestores da UFRB (Universidade do Recôncavo da Bahia) sobre necessidades formativas no campo pedagógico, como elemento do desenvolvimento profissional. Para compreensão analítica do objeto de estudo, utilizei dos fundamentos teóricos e metodológicos da Teoria das Representações Sociais (TRS), na perspectiva de Jodelet (2001) e Abric (1999). Ademais, contribuições de autores do campo da Formação de Professores e Pedagogia Universitária, tais como: Zabalza (1998), Ibérnon (2010), Cunha (1999), Masetto (1998), serviram de base teórica. Do ponto de vista metodológico: realizei um Estudo de Caso, sendo que a abordagem da pesquisa é a Qualiquantitativa. Utilizei do questionário e da entrevista semiestruturada para coleta de dados. A investigação científica permitiu conhecer que os professores têm necessidades formativas no campo pedagógico e no que diz respeito ao seu próprio desenvolvimento profissional. Os gestores da instituição acreditam que os professores da instituição têm necessidades formativas, no campo pedagógico. A instituição desenvolve um trabalho de formação continuada de professores, aproximando-se de uma filosofia de trabalho com base na reflexão da prática educativa. Esta dissertação está estruturada em cinco capítulos, a saber: 1) Delineamento do objeto de estudo; 2) Aspectos conceituais da docência no ensino superior; 3) Representações Sociais; 4) Caminho Metodológico; 5) Análise de dados. Por fim, realizo uma síntese do estudo nas Considerações Finais, concebendo esta investigação como um olhar sobre a formação do professor do ensino superior.

PALAVRAS-CHAVE: Representações Sociais. Necessidades Formativas. Desenvolvimento Profissional. Professores do Ensino Superior.

 

 

12. AUTORA: TAISA DE SOUSA FERREIRA

ORIENTADOR: Marco Antônio Leandro Barzano

TITULO: Entre o real e o imaginário: problematizando o currículo do curso de Licenciatura em Pedagogia em relação a gênero e sexualidade

RESUMO:

Por meio de percepções constituídas em meio a distintas experiências acadêmicas quanto ao silenciamento e ausências impostas a determinados campos de saber problematizo o currículo do curso de Pedagogia no sentido de compreender como as discussões sobre gênero e sexualidade atravessam e constituem a formação do (a) pedagogo (a) na Universidade Estadual de Feira de Santana /Bahia, partindo das seguintes questões: como o curso de Pedagogia da UEFS, no processo de formação (as) têm discutido as inserções propostas pelos documentos produzidos no âmbito do governo federal e pelas diretrizes curriculares no que diz respeito às questões de gênero e sexualidade? Como as questões de gênero e sexualidade são trabalhadas nas práticas curriculares no curso de Pedagogia? Como os (as) professores (as) compreendem a inserção das temáticas de gênero e sexualidade no curso de Pedagogia da UEFS e de que maneira inseri-las nas suas práticas educativas? O objetivo do estudo foi analisar o currículo e os discursos que emergem do curso de Pedagogia no que se refere às relações de gênero, sexualidade e formação docente. Neste trabalho, entrelaçam-se os estudos de gênero, estudos culturais na perspectiva pós-estruturalista. Movimentamo-nos nesta viagem para multiplicar sentidos, formas de pesquisar, lutas, saberes, experiências e até mesmo vozes. A pesquisa caminha no sentido de mostrar como são produzidas as discussões sobre gênero e sexualidade. Para tanto, foram realizadas análises documentais e entrevistas semiestruturadas com seis professores (as) do curso de Pedagogia. Com as análises realizadas podemos perceber que as questões em torno do gênero e da sexualidade no curso de Pedagogia são atravessadas por campos e políticas de silêncios que se fazem presente tanto no âmbito do currículo enquanto materialidade, como no âmbito das experiências de alguns (mas) discentes e docentes e nas relações de poder estabelecidas entre docentes do curso, porém ao mesmo tempo acenam-se processos, práticas e sujeitos que enunciam e reivindicam diferentes formas de pensar a formação, buscando a partir dos silêncios produzir novos significados e sentidos sobre as temáticas gênero e sexualidade. Percebemos que entre fissuras, rasuras, palavras e silêncios, o gênero e a sexualidade atravessam a formação docente no curso investigado. Ressaltamos que não temos intenção de apresentar tais resultados como marcos fixos, definitivos e inabaláveis, mas sim configurá-los como um convite para (re) pensarmos as palavras, os silêncios e a produção de sentidos em torno do gênero e da sexualidade no interior do curso de Pedagogia e suas implicações na formação docente.

PALAVRAS-CHAVE: Currículo; Pedagogia; Gênero; Sexualidade.

 

 

AUTORA: VÂNIA PEREIRA MORAES LOPES.

ORIENTADOR: Antonia Almeida Silva

TITULO: A intervenção do empresariado na educação escolar: análise das diretrizes e ações no município de Feira de Santana – BA (2001–2008)

RESUMO:

Esta pesquisa problematiza a intervenção do empresariado nas políticas educacionais empreendidas na rede municipal de educação de Feira de Santana – BA, no período de 2001 a 2008. Para isso, o estudo elegeu como questão central de investigação: quais são as diretrizes do empresariado para a educação e como elas se materializam em políticas educacionais para o sistema municipal de educação de Feira de Santana? A inserção do empresariado enquanto formuladores de políticas educacionais, através de suas organizações sociais, remonta aos processos de reforma administrativa da década de 1990, e apresenta como argumento a suposta incapacidade do Estado em garantir os direitos sociais, deslocando este papel para as organizações públicas não-estatais. Como objetivo buscou-se analisar as concepções e ações dos programas de parcerias entre o empresariado e o governo municipal de Feira de Santana. A pesquisa baseou-se na análise de conteúdo qualitativa, e procurou articular a análise política das políticas educacionais proposta pelo empresariado e acolhidas pelo governo municipal, através de programas de parcerias, entre 2001 a 2008, tomando como principais categorias de análises os conceitos de Estado e Responsabilidade Social Empresarial. O corpus do estudo foi constituído de documentos oficiais, impressos e digitais, que indicaram diretrizes das políticas educacionais do governo municipal de Feira de Santana; notícias de jornais impressos e digitais que apontaram aspectos sobre a educação municipal e; documentos dos programas resultantes de parcerias entre a Secretaria Municipal de Educação de Feira de Santana e empresas, no período de 2001 a 2008. Identificou-se que, entre os anos de 2001 a 2004, as parcerias se caracterizaram por ações de programas mais pontuais, intensificando suas ações na segunda gestão do prefeito José Ronaldo de Carvalho, entre 2005 a 2008, quando as estratégias de parcerias e intervenções do empresariado tomaram novos contornos, tornando-se mais refinadas e duradouras. O foco passou a ser a gestão educacional eficiente e os programas voltados para o meio ambiente e inclusão social, tornaram-se mais abrangentes. O estudo concluiu que as intervenções do empresariado nas políticas educacionais, sob a égide da responsabilidade social empresarial (RSE), vêm se constituindo num importante vetor para a promoção da imagem das empresas como promotores de serviços sociais, tendo como mote a implantação de um modelo eficiente e um padrão de produtividade, encontrado na gestão empresarial. Palavras chave: Estado; parceria empresa-escola; Responsabilidade

PALAVRAS-CHAVE: parceria empresa-escola; Responsabilidade Social Empresarial

 

 

Recomendar esta página via e-mail: